29 julho, 2011

Brincando de malhar

Quem precisa ir pra academia quando se tem um bebê andante?

Primeiro você coloca o bebê no carrinho e caminha meia hora pra chegar no parquinho. Lá você corre com seu bebê, sobe escadas, desce no escorrego e engatinha por túnels. 30 repetições, a ordem pode ser aleatória.
Depois você bota o bebê no balanço pra trabalhar os braços. Só 15 flexões porque balanço é muito paradinho, a criança quer mesmo é correr. Daí você faz mais umas 20 repetições correr-escalar-escorregar-engatinhar. 

Antes de voltar pra casa é bom lavar as mãos e pernas da criança pra tirar a sujeira toda.

Mas a água só escorre enquanto você aperta o botão... se soltar o botão, a água para. E você se pergunta: que tipo de engenheiro inventou essa torneira?! Um engenheiro a favor da malhação para as mães, só pode.

Você tem duas opções:

1. Pode tentar apertar o botão e fazer movimentos super rápidos pra pegar a água com a mesma mão e jogar na criança, assim você pode manter o ritmo e praticar artes marciais, praticamente uma ninja.

2. Ou você pode usar outras partes do corpo pra segurar o botão (cabeça, cotovelo, joelho, pé) e assim fazer um belo de um alongamento.

Daí você caminha de volta pra casa, empurrando o carrinho e subindo ladeira para aumentar a intensidade.

Pronto, chega em casa você ta suada feito um porco, com um bebê feliz - não tão limpo - dormindo feito um anjo e você fez sua malhação do dia.

Mas se você estiver em um nível mais avançado, você pode ainda: arrumar os brinquedos espalhados pela casa, lavar pratos, varrer o chão, dobrar umas roupas e limpar o banheiro. 

Só não esqueça de fazer tudo isso pela manhã, que aí quando o bebê tirar a sonequinha da tarde, você dorme junto porque ninguém é de ferro né?!


19 julho, 2011

Fofuras de Leah

Outro dia Leah tava brincando de cavalinho em cima de mim e quando ela saiu Alex começou a beijar minhas costas, Leah voltou e me deu muitos beijinhos também, com zuadinha e tudo! Se o papai deita no meu colo ela deita também. Quando eu deito no chão, ela deita também. Ela imita tudo!

Quando pedimos um beijo, ela nos dá um selinho. Às vezes nos ataca, sem que a gente peça ela começar a dar um monte de beijos e nos baba todo.

Quando pedimos um abraço ela deita a cabeça no nosso ombro e dá tapinhas nas costas.

Quando a gente pergunta "Cadê Leah??", ela bota as mãozinhas no rosto, se escondendo.

Quando ela consegue fazer alguma coisa, nós falamos "Êeeee" e ela bate palmas. Outro dia só falei "Parabéns Leah, muito bem!" e ela não esqueceu de bater as palminhas para parabenizar a si mesma.

Acho que o que ela mais gosta de fazer é ler livros, na verdade folhear, já que ela vira a página antes que eu termine de ler. Ela trás os livros pra mim, quando sento no chão pra ler ela senta logo no meu colo toda animada. Quando termina ela pega outro livro e senta no meu colo de novo e depois outro e mais outro e assim vai até que eu canso e arrumo outra coisa pra ela se distrair.

Ela é muito fofa e eu amo demais cada fofurinha que ela faz.

05 julho, 2011

O primeiro aniversário de Leah

Aqui nos Estados Unidos não é costume fazer uma festança de primeiro aniversário como é no brasil. Ainda pensei em fazer uma festinha, mas Leah praticamente não tem amiguinhos do tamanho dela, eu iria convidar as pessoas que conhecemos e que tem crianças, mesmo assim, são crianças maiores e que Leah não tem muito contato. Achei que Leah não iria curtir muito e eu queria comemorar o aniversário de um jeito que ela pudesse aproveitar e se divertir bastante, afinal é o dia dela. Então resolvemos fazer um picnic com a família que temos aqui, que é composta dos  avós paternos, um tio (que não pôde ir) e uma tia. E depois do picnic iríamos levá-la pra brincar em uma casa de brinquedos infláveis.

De preparação pro dia foi somente arrumar a roupinha da aniversariante e encomendar o bolo. Comprei uma roupinha bonitinha, confortável e fresca, e uma sandália (que ela nem usou, ficou descalça mesmo). Mandei fazer o bolo e cupcakes, eu queria combinar com as cores da roupa dela, mas a roupa praticamente não tem cor, então só mandei fazer um bolo branco com um laço rosa e bolinhas nas cores que eles tinham lá: azul, rosa e verde. É difícil escolher cores assim, na base da imaginação, depois de pronto percebi que o verde era desnecessário, ia ficar perfeito só rosa e azul. Oh well...  O picnic foi na hora do almoço. Pensamos bem no horário pra que ela pudesse estar bem descansada e disposta.

O aniversário dela caiu no sábado, Leah acordou e recebeu muitos beijos, abraços e parabéns do papai e da mamãe, brincamos muito em casa mesmo e quando ela tirou a soneca da manhã, o papai foi buscar o bolo. Quando Leah acordou botamos tudo no carro pra levar pro parque: o bolo e os presentes, nossos e outros que ela já tinha ganhado de amigos e que guardamos pra ela abrir só no dia. No caminho paramos em uma loja pra comprar a vela e uma toalha pra mesa. Peguei também alguns balões pra dar um clima de festa, mas eles estouraram rapidinho. Meus sogros levaram a comida, bebida e a cadeira de Leah. Fomos pro meu parque favorito, que tem uma vista linda com um lago e muitas árvores.

Leah estava tão feliz, ela é louca pelos avós e a tia, e ama estar ao ar livre. Almoçamos, abrimos os presentes e depois cantamos parabéns. É tradição americana deixar o bebê fazer o que quiser com o bolo no primeiro aniversário, então nós ficamos com os cupcakes e Leah ficou com o bolo inteiro. Ela comeu um pouquinho da cobertura e se divertiu um monte destruindo o bolo todo.

Voltamos pra casa, Leah tomou banho e dormiu. Quando acordou fomos pra casa de brinquedos infláveis. Ela ficou um pouco assustada com a zuada e não quis muito pular nos brinquedos, mas adorou correr no chão colorido e escorregar.

Foi tudo bem simples, do jeito que queríamos: um dia agradável na companhia das pessoas que amamos. Leah se divertiu muito, e nós também!


Amo demais!!

02 julho, 2011

1 ano de Leah!

Hoje recebi esse email do Baby Center:

"Feliz aniversário! Dá para acreditar que um ano se passou desde aquele dia tão emocionante em que ela nasceu? Muita coisa mudou, na sua vida e na desse bebezinho. Se você ganhasse 1 real para cada fralda trocada, para cada camiseta golfada e para cada sorriso lindo do seu filho, certamente teria dinheiro para comprar o arranjo de flores maravilhoso que você merece!"

Dava pra comprar muuuuito mais que um arranjo de flores! 

Não existe valor numérico nem palavras que descrevam como foi esse primeiro ano com Leah em nossas vidas. É mesmo difícil de acreditar que um ano se passou desde aquele dia tão lindo. A maternidade é maior benção dessa vida, não existe amor, alegria, orgulho e explosão de sentimentos contraditórios que se compare. Como sou grata por estar sempre ao lado dela,  por poder acompanhar de perto seu desenvolvimento e me alegrar com cada descoberta e aprendizado. Da a descoberta das mãozinhas aos primeiros passos. Aquela coisinha tão pequena, frágil e careca, que só sabia mamar e chorar, hoje já tem 5 fios de cabelo, anda pra todo lado, mostra sua personalidade forte, faz um monte de gracinhas pra nos ver sorrir. Hoje só penso em agradecer ao Pai Celestial por nos enviar uma bebê tão doce e tão alegre. Ela é muito mais do que esperávamos, é nossa maior alegria e a amamos sem limites. 

Feliz aniversário, princesinha!!!

O último mês antes da minha bebê virar uma moça de 1 aninho foi regado a base de muita piscina e curtição ao ar livre da pequena andante.