12 setembro, 2011

Sobre Amamentação

Tava escrevendo sobre amamentação para o meu irmão e cunhada que acabaram de ter bebê, e resolvi fazer um post, quem sabe não ajuda mais gente.

Aqui nunca pensei em outra forma de alimentar minha filha. Amamentar é natural e em nenhum momento pensei "e se eu não conseguir?". Antes de Leah nascer não comprei mamadeiras e nem chupetas (acabei dando chupeta depois, mas falo disso em outro post). Acredito que toda mulher tem capacidade de amamentar, em alguns casos surgem dificiculdades, nem todo bebê nasce sabendo mamar e se o bebê não pega o peito corretamente, segue uma série de problemas, frissuras - pouca produção de leite - pouco ganho de peso pro bebê. Como meu irmão bem falou, na grande maioria dos casos em que o bebê não mama, pouquíssimos são por causa de algum problema fisiológico.

O que diz a Organização Mundial de Saúde:
- As crianças devem fazer aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de idade. Ou seja, até lá, não se deve dar nenhum alimento ou bebida complementar, nem chá, nem suco, nem mesmo água. Nada. Só leite materno.
- A partir dos 6 meses toda criança deve receber alimentos complementares e devem continuar a ser amamentada até, pelo menos, os 2 anos de idade.

O que a OMS recomenda para o sucesso da amamentação:
- Informação para as grávidas sobre as vantagens e a pratica da amamentação.
- Iniciar a amamentação na primeira meia hora após o parto.
- Mostrar às mães como amamentar e como manter a lactação, mesmo que tenham que se separar de seus filhos.
- Não dar ao recém-nascido nenhum outro alimento ou bebida além do leite materno, a não ser que seja por indicação médica.
- Amamentação em livre demanda (sempre que o bebê quiser).
- Não dar bicos artificiais ou chupetas a crianças amamentadas.

Todo mundo sabe que o leite materno é o alimento ideal para o crescimento saudável e desenvolvimento dos recém-nascidos. Ele supre todas as necessidades nutritivas da criança até o sexto mês, protege contra diarréia, doenças infecciosas, respiratórias e outras mais graves como diabete e leucemia, diminue a tendência a problemas alérgicos, possui ácidos graxos essenciais para o desenvolvimento do cérebro, promove o estabelecimento de uma ligação emocional muito forte entre mãe e bebê, além dos benefícios para a mãe, como diminuição dos ricos de câncer de mama e de ovário.

Mas se amamentar é essa maravilha toda, porque ainda são tão poucos os bebês amamentados e menos ainda os amamentados exclusivamente? Creio eu que seja falta de informação sobre o ato de amamentar e o processo fisiológico da amamentação. Não há preparação melhor que a informação. "A força de vontade, aliada à informação correta, tendo o apoio logo do início, é meio caminho pra que a amamentação ocorra sem problemas." Antes de engravidar eu achava que amamentar era botar o bebê no peito e tava tudo resolvido. Somente durante a gravidez que vim saber que existe uma pega correta e que nem todo bebê nasce sabendo pegar o peito; que o processo de adaptação é bastante dolorido e que o leite mesmo só desde dias após o parto. Eu não tinha idéia do que era colostro.

Se a mulher não entende o processo fisiológico, vai achar que não tem leite suficiente, antes mesmo da descida dele. E se o bebê não pega o peito corretamente, não vai conseguir se alimentar bem e mãe vai achar que seu leite não é adequado, o tal do "leite fraco", que não existe. Ou se a mulher não sabe que durante as primeiras semanas vai doer até que o peito se adapte àquela sugação toda, acaba desistindo por não esperar que fosse tão doloroso e não saber que vai passar.

Esse link aqui explica direitinho sobre a posição e pega correta. Alías, o site todo é muito bom e vale a pena dar uma olhada. Só acrescentando o que não tem lá: o bebê não deve virar a cabeça para o lado para mamar, a cabeça deve estar para frente, para isso é só segurar o bebê com a barriga encostada na barriga da mãe. A boca deve ser de "peixinho", com os lábios virados pra fora.

"A amamentação é um processo fisiológico, natural, mas que precisa ser aprendido".

7 comentários :

  1. Oi Dayane, muito legal esse post! Espero que auxilie e motive muitas futuras mamães!
    Eu sonhava em amamentar, e sempre dizia que ia ser livre demanda e por no mínimo 6 meses, mas esse sonho não se realizou =(
    Nunca tive leite, não era "leite fraco" ou dor, era ausencia de leite mesmo.. e de tanto tentar, ele ficou muito fraquinho, teve febre, tomou antibiótico muito cedo.. e não tive outra alternativa! =/
    Mas já superei e graças a Deus ele é super saudável, eu não poderia querer mais que isso né?!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Adoro falar sobre amamentação! Aqui foi um sucesso, meu leite veio super rapido e Arthur era um bezerrão, mamou muito e muito bem.

    Agora estou tentando convencer minha cunhada aqui, ela teve um bbe prematuro que ja saiu do hospital com formula (que eu achei o cumulo) e eles ja estavam dando na chuquinha. Agora ele toma formula e ela acaba quase nem oferecendo o peito pra ele e diz que não tem leite, mas nunca vai ter mesmo, precisa do estímulo pra ter leite... ai ai da vontade de dar uma bronca sabe? Tipo ou vc assume que não quer dar peito logo ou vc tenta mais...

    Mães e mães né? Melho ficar quietinha no meu canto, pq eu não me aguento...rsrs

    beijo

    ResponderExcluir
  3. Aqui também nem houve outro pensamento a não ser amamentar no peito, em ld e exclusivamente por 06 meses. Mas hoje eu vejo cada vez menos gente amamentando. Acho que os principais fatores são a falta de informação e a falta de vontade mesmo, porque amamentar cansa, precisa de atenção, de dedicação, e não é todo mundo que está disposto a isso. Claro que em alguns casos há realmente uma necessidade de LA, mas vejo uma grande maioria com muitas desculpas esfarrapadas, e quando são orientadas se fazem de surda. Mas, cada um sabe onde o calo aperta não é mesmo? Beijooos

    ResponderExcluir
  4. Oie Dayane,

    Fiquei encantada com teu cantinho e resolvi te add!
    Espero poder trocar experiencias!

    Beijo ;*

    ResponderExcluir
  5. Conheci teu blog atraves do blog da Luli, mae da rafinha.
    Ele indicou para nós, disse q era mto legal, portanto , resolvi conhecer e de fato é.
    ainda sou apenas uma tentante, mas, em breve creio q estarei com a minha ou meu pequeno nos braços.
    bju grande passa lá no meu catinho para nos conhecer.

    ResponderExcluir
  6. Ai amiga, esse assunto me dói tanto!
    Meu filhote nasceu prematuro e ficou na UTI por 09 dias.
    Decorrente á isso e uma série de coisas (passei muito nervoso, bebê prematuro sem muita força pra sugar, como ficou no hospitla, não amamentei como deveria e por conta disso, não estimulava a fabricaçao do leite, mesmo eu tentando fazer isso com a bombinha) foi uma frustração só, tomei remédio pra produzir leite... enfim....
    Não sei se isso seria uma sensação de culpa, mais eu ainda acho que deveria ter tentado mais, sei lá, talvez tenha feito errado.
    Mais gráças á Deus, meu filhote é muito saudável, só teve uma gripezinha até hoje.
    Será que um dia eu supero essa sensação de culpa de não ter conseguido amamentar?
    Tomara!

    ResponderExcluir
  7. Precisamos de posts e informações como essa... muitas mães deixam de amamentar por falta de informação, por conselhos de pessoas, ou devido a dor, muito triste...já que o leite materno é o melhor alimento para o Bebê até os 6 meses. E como você disse não existe leite fraco! (ô pitaco que adoram dar pra gente desistir de amamentar!!!) Bjinhossssssssss

    ResponderExcluir