04 abril, 2012

Dos sustos que inspiram

O botão do controle pra destravar as portas do nosso carro já não funciona mais, temos que abrir uma porta com a chave e destravar as outras manualmente. Sempre saio com Leah nos braços, abro a porta da frente, destravo as outras, jogo a chave e minha bolsa no banco da frente e coloco Leah na cadeirinha. Nesse dia eu tava saindo de casa com um monte de coisas nas mãos, então Leah veio andando atrás de mim. Enquanto eu botava as coisas dentro do carro, ela apertou o botão que destrava as portas. Vi o botão que ela tinha apertado e vi que as portas estavam destravadas. Acontece que na hora que me abaxei pra pegar Leah, ela apertou o botão de novo, e não me dei conta que ela tinha apertado em baixo. Botei Leah na cadeira com o cinto e fechei a porta. Quando fui pro outro lado abrir a minha porta pra entrar no carro... estava trancado. O carro trancado. Com a chave dentro... e minha filha! Oh céus.

Vou entrar em casa (o que eu ia fazer dentro de casa ainda não sei). Não, a casa ta fechada e a chave dentro do carro. Dã! Tá, vou ligar pro marido, pra sogra, pro corpo de bombeiros. Não, o celular também ta dentro do carro. Então voi baixar o Hulk que existe em mim, entortar a porta, meter meu braço elástico na brecha destravar a porta. Do mesmo jeito que os ladrões fizeram com meu carro no brasil uma vez... Não mesmo. Mas não foi por falta de tentativa. Será que ela vai ficar sem ar? Não tenho idéia. Melhor pensar rápido em uma coisa útil.

Eu tenho esse positivismo que quando problemas assim surgem, não entro em pânico. Tenho sempre o pensamento que tem um jeito de resolver, que todo problema tem uma solução. É um tanto angustiante ver sua filha trancada dentro do carro e você do lado de fora com as mãos abanando. Mas eu sabia que iria abrir aquele carro nem que eu tivesse que quebrar o vidro à pedradas.

Corri na casa da frente e pedi pra usar o telefone. O único número que sei decorado é o celular do meu marido, nem o número do trabalho dele eu sei. Ele não costuma atender números desconhecidos e pior ainda, ele nunca atende o celular quando ta no trabalho. Mas eu tava mais tranquila, se eu não conseguisse falar com o marido, tinha o vizinho ali pra me ajudar, certamente ele teria uma marreta e a força pra quebrar o vidro. E não é que o marido atendeu o celular?! Fiquei tão surpresa que ao invés de falar alô, falei: você atendeu, não acredito!! E ele respondeu: "Nem eu, ainda pensei em não atender, mas como to no horário de almoço resolvi ver quem era..." Como o Senhor é bondoso! Meu coração aflito estava em oração e Ele não me desanparou. Alex ligou pra uma companhia que faz o serviço de destravar carros. Expliquei tudo rapidamente pro meu vizinho e voltei correndo pra ver Leah, achando que ela já estaria aos prantos. Mas ela tava quietinha me esperando.

Demorou só uns 10 minutos pra pessoa chegar, foi bem rápido mesmo. Enquanto esperava fiquei brincando pela janela com Leah e na hora que ela tava começando a fazer cara de choro foi quando o homem chegou. Ele passou um ferrinho curvado por baixo do vidro e em questão de 15 segundos o carro tava aberto e sem dano nenhum. Fez parecer que roubar um carro é a coisa mais fácil dessa vida.

50 dólares pra isso. To pensando em entrar no ramo… abrir minha própria empresa de destravar carros. Bom negocio, né? E útil! 

14 comentários :

  1. Dayane,roubo foi o que ele cobrou.Estou rindo de ele ter chego em 10 minutos,aberto em 15 segundos e cobrado 50 dólares,no Brasil seria 100 reais.É como diz por aqui está tudo pela ora da morte,lembra desse ditado? Beijos Patricia Paula.

    ResponderExcluir
  2. Hahahaha tadinha de voces! Ainda bem que tudo deu certo.

    ResponderExcluir
  3. Meu Deus, confesso que fiquei apavorada só de ler, que cada letra era um aperto no peito, nossa nem imagino isso acontecendo comigo do jeito que sou desesperada ia ser capaz de quebrar o vidro pra tirar minha pequena de lá.
    Bom que você tem muita calma e paciência e que deu tudo certo rs.

    ResponderExcluir
  4. Até eu me assustei só de ler Dayane, como Deus dá uma paciência e força pra gente nessas horas heim que as vezes nem imaginamos ter.

    Mesmo coma a extorsão que tu levou gracas a Deus que deu tudo certo hehehe.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Dayane, que desespero! Eu também ficaria... Mas que bom que deu tudo certo e rápido. Acho que é uma boa entrar nesse ramo, hein! rs rs rs
    Essas coisas acontecem e todo cuidado é pouco, né?
    Beijos, beijos

    ResponderExcluir
  6. que desespero que eu fiquei lendo aquii! Que bom que deu tudo certo... ée como essas coisas são caras né, ainda mais uma emergência dessas eles enfiam a faca mesmo!
    beijão

    ResponderExcluir
  7. Menina, q agonia!! Não sei se eu ia conseguir pensar em uma situação dessas... Meu Deus!

    Graças a Deus correu tudo bem e rápido, né?

    Mas é caro mesmo esses serviços, ja tranquei o carro com a chave dentro 3 dias seguidos e aqui tbm paguei 50 reais, mas sem o filho dentro, acho q se ele estivesse dentro pagava até R$200,00 rsrs

    Beijo

    ResponderExcluir
  8. ai que desespero!!!!
    mãe é uma coisa de louco née? a gente tira força da onde a gente nem imagina!

    ResponderExcluir
  9. Dayane, que aflição! Fiquei imaginando a cena enquanto lia, mas graças a Deus acabou tudo bem!
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. menina, estou com o coração aos pulos aqui só de ler seu relato!
    sabe que eu nunca tinha pensado que isso pudesse acontecer?
    ó, respondi vc lá no blog.

    bjos

    ResponderExcluir
  11. ué Dayane e os outros posts que vc publicou do antigo blog, sumiram, não estou vendo mais aqui....

    ResponderExcluir
  12. Dayane. Que qualidade a sua de não apavorar. Fiquei apreensiva só de ler. Mas que ótimo que deu tudo certo. Beijos!

    ResponderExcluir
  13. ahahahh Só vc Day!!!! Eu ficaria desesperada (sou da turma das que se desesperam facilmente. péssimo hahaha). Que bom que foi rapidinho!! E que já descobriu até um novo negócio! haha bjooooooooooooooooooooo

    ResponderExcluir
  14. Esse lado positivo na hora de um problema ajuda muito mesmo!
    Sou assim também.

    Aconteceu a mesma coisa comigo, mas sorte que a Lara não estava no carro, porque o seguro demorou MUITO para chegar... mais de 1 hora. Esse trânsito!

    ResponderExcluir