17 junho, 2012

Minha maternidade

Este post é candidato ao concurso "O melhor post do mundo da Limetree"

Era uma noite de março de 2008, depois de três meses namorando pela internet estávamos pela primeira vez juntos pessoalmente. Eu tinha recentemente visto um nome escrito em algum lugar. Não tínhamos falado ainda em casamento, muito menos em filhos. Mas no meio da nossa conversa perguntei o que ele achava do nome. Ele gostou e falou que seria o nome da sua filha. Leah.

Dez meses depois nos casamos e mais dez meses depois engravidamos. Ele acreditou desde o início que era uma menina. Eu tentei estar preparada no caso de ser um menino. Procuramos por nomes, tanto de menina quanto de menino, mas Leah era o único nome da nossa lista. Com 19 semanas de gestação tivemos a confirmação, era mesmo Leah que estávamos esperando. 

Tenho 3 irmãos mais velhos e quando criança quis muito ter uma irmã. Eu pedia pra minha mãe ter um bebê, uma menina, porque eu achava que ela podia escolher o sexo. Quando ela disse que não podia mais ter filhos eu insistia pra que ela adotasse uma. Eu imaginava que ia encontrar um bebê abandonado na rua, ou que alguém ia abandonar um bebê na porta da minha casa, dentro de uma cesta como nos desenhos. Eu sonhava com essa irmãzinha, me imaginava brincando com ela e cuidando dela como se fosse uma das minhas bonecas. Não sei exatamente quando o sonho de ter uma irmã se transformou no sonho de ter uma filha. Deve ter sido quando cresci mais um pouco e compreendi que eu não teria uma irmã. Sonhava com a gravidez, enchia minha barriga o máximo que podia só para imaginar como seria ter um barrigão com um bebê dentro. Sempre uma menina porque além de uma irmã/filha, eu queria uma amiga. É como se esse desejo de cuidar, proteger e amar um bebê estivesse comigo desde sempre. É como se eu tivesse sonhado com Leah desde sempre.

Sonhei muito ser mãe, mas nunca tive idéia da grandiosidade que é a maternidade. Leah é muito mais do que jamais imaginei. A gravidez e esses quase 2 anos com ela foram como um sonho real. Com boas doses de estresse e cansaço pra me deixar saber que é bem real, mas com muito mais momentos maravilhosos. E ainda hoje, quase que diariamente penso "essa é a filha que tanto esperei, ela tá aqui!" ou "sou mesmo mãe!", incrédula de que tudo isso é mesmo real.

Leah me abriu as portas para um novo mundo. Um mundo mais intenso, com mais sentido, mais feliz. Um mundo onde as emoções são vividas em seus extremos, boas ou ruins. Vi meu corpo transformar um embrião em um bebê perfeito, vi vida crescer dentro mim e de mim, tive dois corações batendo ao mesmo tempo, senti por dentro e vi por por fora cada movimento. E quando prontinho meu próprio corpo se encarregou de colocá-la no mundo. Por 6 meses fui a única fonte de alimento. Vi de perto todo o desenvolvimento, vi o primeiro sorriso, ouvi a primeira gargalhada, acompanhei a descoberta das mãos, dos pés e de que ela é um indivíduo separado de mim. Vi rolar, vi sentar, vi engatinhar, vi dar os primeiros passinhos, ouvi as primeiras palavrinhas. Acompanhei cada aprendizado, bater palmas, dar tchau, dar beijo e abraço, vi aprender a fazer gracinhas para nos ver sorrir. Vi aquela bebêzinha molenga totalmente dependente se transformar em uma menininha forte, inteligente, cheia de vontades próprias, muito carinhosa, que pula, dá cambalhotas, canta, brinca com a imaginação, pensa e raciocina.

Não existe orgulho maior do que acompanhar esse desenvolvimento. Não existe satisfação maior do que ensinar esse serzinho. Não existe trabalho mais recompensador. A maternidade é uma viagem louca e incrível que preciso viver novamente, mais umas duas ou três vezes...


************


Para dar um apoio moral, você pode votar AQUI.

7 comentários :

  1. Que post mais lindo!
    Linda a história de vocês.
    Vou votar sim!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Amiga, que saudade! E esse post, coisa mais linda??? Muito sentimento mesmo né?!
    Vou votar!

    Beijão

    ResponderExcluir
  3. Perfeito o seu post, perfeita a sua historia e o melhor de tudo: perfeita a sua filhinha!!
    Já está votado!
    Boa sorte e bencaos sem fim!!
    Bjs

    http://dasaxoniaabaviera.blogspot.de/

    ResponderExcluir
  4. Dayane que linda sua história, seu sonho que foi realizado! Tanto amor, né? Lindo demais!!!!!!!
    Vou lá, vou lá votar em você também...
    Beijos e boa sorte.

    ResponderExcluir
  5. Que lindo o seu post! E que história bacana a do nome dela!! Vou lá votar já!
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Que linda a sua história... Eu nunca imaginei que um amor de internet poderia dar certo...
    Adorei saber que sim!
    Parabéns!!!
    Vou lá votar...

    Beijos!

    Lívia.

    ResponderExcluir