04 dezembro, 2012

Dormindo sozinha - Parte 2

Eu amo ninar minha filha. Amo esse momento de colocá-la pra dormir, sempre ficamos tão próximas. Foi duro quando resolvemos deixar ela adormecer no berço ao invés de nos braços e foi duro agora decidir sair do quarto antes dela estar dormindo. Desde que passamos ela pra cama que ficavamos no quarto até ela dormir.

Três semanas atrás marido começou a reclamar que estava demorando demais pra Leah pegar no sono. Pensei que homem só quer moleza mesmo, eu fazia a mesma coisa de tarde talvez fosse hora de deixar Leah dormir sem nossa presença. Depois de deitar Leah cama a gente ficava sentado na poltrona  ao lado até ela dormir. Às vezes ela queria um chamego e eu costumava sentar com ela no meu colo, cantar uma musiquinha e dar muito cheiro no cangote antes de deitar ela na cama. 

Mas um dia teríamos que acostumar ela a dormir sem a gente ali. E sem plano nenhum resolvi iniciar mais essa transição. Leah recentemente havia se apegado a uma boneca e sempre ia muito satisfeita dormir com a boneca ao lado dela. Na hora da soneca decidi que ia botar ela cama e sair do quarto em seguida. Deitei ela e a boneca, dei beijo nas duas e fui ligar o barulho estático que eu havia esquecido de ligar antes. Não falei nada, mas acho que porque Leah viu que eu não sentei imediatamente na poltrona, ela falou "Depois volta tá?". Por um segundo pensei que ela conseguia ler minha mente e sabia da minha intenção de abandoná-la sair do quarto. Só balancei a cabeça e saí. Deixei a porta apenas encostada e da sala eu podia ouvir Leah brincando com a boneca. Pouco tempo depois Leah saiu do quarto. Fui até ela, falei que era hora de dormir. Ela chorou. Peguei ela nos braços, abracei, falei mais uma vez que era hora de dormir, coloquei ela de volta na cama e saí. Ela começou a pedir por suco. Voltei no quarto pra falar com ela de novo, ela estava em pé na cama. Perguntei o que havia de errado, se ela queria alguma coisa (esperando ela dizer que queria suco pra eu poder explicar que não era hora de tomar suco). Ela não falou nada. Pedi pra ela deitar, ela voltou a chorar. Peguei ela no colo balancei um pouquinho pra acalmá-la e me toquei que não eu podia só dizer pra ela dormir e sair do quarto sem dar explicação nenhuma, eu precisava explicar e passar segurança pra ela (como falei no post anterior). Falei pra ela que estava tudo bem, pra ela dormir, que eu estava lá fora e que quando ela acordasse batesse na porta que eu viria pega-la. E com uma maturidade que não pertence a sua pouca idade ela deu um suspiro profundo pra segurar o choro, falou "Ok", me deu um beijo e se deitou. Saí do quarto mais uma vez e ela dormiu tranquilamente. 

À noite foi um pouco mais difícil. Fizemos a rotina: escovar os dentes, ler as escrituras e orar. O papai, que é quem fica com ela a noite, não sabia o que fazer. Como Leah tava pedindo pra ler um livro, falei pra ele botar ela na cama e ler o livro, depois se despedir e sair do quarto. Me despedi de Leah e deixei eles lá. Leah chorou quando ele saiu, marido veio pra mim com uma cara triste e no quarto Leah chamava por mim. Fui falar com ela e enquanto eu tentava acalma-la ela falava apontando pra poltrona: "Fica, fica, fica". Me partiu o coração. Quase resolvi deixar tudo isso pra lá e ficar ali com ela, mas com o coração apertado expliquei pra Leah eu ia ficar lá fora, que estava tudo bem, que eu viria sempre que ela me chamasse, que ela podia dormir. Saí e Leah chorou chamando pelo pai essa vez. O pai foi lá e conversou com ela também. Ela pareceu entender quando ele disse que voltaria na manhã seguinte, se acalmou e dormiu.

Ela só chorou nesse primeiro dia, depois não chorou mais, mas ainda passou uns dias pedindo pra que a gente ficasse com ela. E sempre que ela nos chamava a gente ia lá quantas vezes fossem necessárias e explicava com muito carinho que ela podia dormir e que estaríamos ali quando ela acordasse. Acho que com uma semana concluímos a fase 1 - Leah compreendeu que a gente não ia mais ficar no quarto, parou de pedir por isso e tava bastante segura pra dormir sozinha.

Mas começamos a fase 2 - segurança pra dormir sozinha ela tem, lhe falta é a vontade de ir dormir e o sono. Hahaha Depois de bem adaptada a dormir sem a gente no quarto, Leah começou a sair da cama e bater na porta. Várias vezes. Claro que eu não espero que eu coloque minha filha na cama e ela durma imediatamente. Minutos antes ela tava cheia de energia, pulando e falando pelos cotovelos, deve ser muito difícil pra ela desacelerar. Não vejo problema em ela ficar brincando na cama até o sono chegar, mas seria querer demais pra uma menina de 2 anos? Logo que a gente saia do quarto Leah ja se levantava e batia na porta. A gente voltava, deitava ela na cama, beijo, abraço, love you e nighty nigth de novo. E pouco tempo depois Leah batia na porta de novo. E a gente fazia tudo de novo. E de novo. E de novo. Ela se levantava 5, 6 vezes até dormir, a tarde e a noite, e todas as vezes a gente ia lá com muita paciência pra deitar e falar com ela. Algumas vezes falei firme com ela, mas logo o remorso me consumia. Não quero que ela durma triste, achando que estou chateada com ela. Como falei lá em cima, esse sempre foi um momento gostoso, sempre a colocamos pra dormir com muito carinho e não quero que isso mude nunca. Então se ela se levantava 5 vezes, era 5 vezes mais beijos que ela recebia, 5 vezes mais que ela ouvia I love you e 5 vezes mais que eu explicava pra ela ficar na cama. Comecei a explicar "Leah, não pode sair da cama. É pra dormir e quando acordar você chama a mamãe". E outro dia segue o diálogo enquanto eu trocava a fralda dela:

- Qué sisti mouse, mamãe. (o Mickey Mouse)
- Agora é hora de dormir, depois você assisti ok?
- No podxi xaí cama?
- Isso, não pode sair da cama.
- Depoix sisti mouse?
- Uhum.

E pronto. Três semanas depois, chegamos na fase 3 - ela não se levanta mais. Colocamos ela na cama, saímos do quarto e ela fica lá deitadinha até dormir.

É uma moça né? A mãe morre de orgulho!

12 comentários :

  1. Nossa que bom que conseguiram, lá por casa estamos na fase um, mas somos guerreiros e vai dar certo, rsrsrsrs.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai sim Tássia! Com paciência se chega lá. hehehe

      Excluir
  2. Fofa no modo master!!!
    E lendo esse post, uma luzinha acendeu aqui... eu nunca fecho a porta do quarto do Enry (que fica de frente pra minha) mas já pensei sobre isso muitas vezes, afinal ele está crescendo.
    A gente sempre acha que os filhos não estão preparados pra essas coisas, mas vão lé e pumba! Sem neuras eles entendem tudo!!!
    Vcs estão de parabéns!!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ivna aqui a gente sempre fechou a porta do quarto dela. Quando passamos ela pra cama pensei em amarrar uma fitinha segurando a trinca pra quando ela acordar conseguir abrir a porta só puxando porque as maçanetas aqui são redondas e ela não consegue abrir ainda. Mas marido disse pra so deixar, daí quando acorda ela bate na porta pra gente ir lá abrir.
      Eu sei que não expliquei direito esse negoço da porta, então vai aqui um exemplo ilustrativo... haha http://www.etsy.com/listing/104630486/latchy-catchy-in-dr-seuss-double-sided?ref=exp_listing O propósito dele é pra fechar porta sem fazer zuada.

      Excluir
  3. AAAAI QUE GOSTOSOOOO!
    Parabéns por esse nova etapa...tudo é tão gostoso... cada conquista..
    E tbm nos faz perceber que que bebê elas não tem mais nada...rs
    bjinhos
    perolasdealanis.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Camila, não tem mais nada de bebê, mas eu não consigo parar de chamar ela de bebê... hahaha

      Excluir
  4. Nossa, q fases hein?
    è cansativo neh? mas tem q ter firmeza e persistencia.
    Aqui em casa, a gente faz cama compartilhada. rafa dorme na dela, q è de solteiro grudada na minha, e è uma luta as vzs pra ela dormir. Ela se joga pra minha cama, e nesse calor quer dormir grudada em mim, e se eu mexo ela pra colocar de volta na cama dela, e uma gritaria sem tamanho! vc nao tem noçao do q eu passo...
    Ja pensei mil vezes em separar a cama dela da minha , mas ela dorme de um jeito,q tenho medo dela cair, pq ela nao vira na cama, como qq um de nos pra dormir, ela senta dormindo, e se joga pra qq lado da cama pra deitar. E eu tenhoq ter almofadas ao redor de toda a cabecera da cama dela, pq ela ja bateu algumas (varias) vzs a cabeça por deitar assim!

    Sinceramente nao sei mais o q fazer!
    socorroooooo!
    No mais, ela dorme hiper bem, falando em horas de sono neh? minimo 7 hs seguidas.

    bjs pra vcs e Parabens, a vcs pelo trabalho, e a Leah por ter compreendido e aprendido a dormir sozinha :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Lu, cada família tem seu jeito né? É bom saber o que funciona pra vocês e ir fundo. Com paciência a gente consegue. Mas tem que ta disposta a continuar, as mudanças levam tempo mesmo. Você pode tentar aquelas protetores de cama, é uma gradezinha pro bebê não cair. Beijos

      Excluir
  5. Dayane! Com calma tudo se ajeita. Meus parabéns por Leah! Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo Renata, e mãe tem que ter muita calma mesmo! hehehe

      Excluir
  6. Estou a visitar alguns blogs, e tive o privilégio de encontrar o seu, vi na pagina inicial o que escreveu, e como gostei folheei mais algumas páginas e fiquei maravilhado pelo que vi e li.
    Dou-lhe os parabéns, mas queria deixar um apelo continue assim dando sempre o melhor, boas mensagens, bons temas. Gosto de escrever, mas também gosto de ler bons temas, por isso é que parei aqui.
    Meu nome é: António Batalha.
    Sou um servo de Deus,e deixo aqui a minha bênção,que haja paz,amor na sua vida, muita saúde e felicidade.
    PS. Se desejar seguir meu blog faça-o de forma a que eu possa seguir o seu blog também.

    ResponderExcluir
  7. Muito mocinha mesmo :)
    Eu sempre digo que a calma e conversar com os pequenos, sermos sinceros facilita muito... e eles entendem bem

    bjo

    ResponderExcluir