05 maio, 2015

Confissões de uma mãe descontrolada



Uma cena comum de acontecer aqui é quando entramos no carro. Leah bota o cinto sozinha mas basta o cinto estar enrolado e não conseguir encaixar pra ela berrar e espernear em frustração e raiva. Eu oferecia ajuda e ela gritava recusando, eu acabava ficando também muito irritada. Com a repetição da cena aprendi a pacientemente esperar ela se acalmar. Não saio até que ela bote o cinto sozinha, leve o tempo que levar. Melhorei muito minha reação à reação dela mas ela continuava com a mesmo escândalo se não consegue botar o cinto de primeira. 

Não é só com o cinto. Leah é assim. Ela se frusta muito rápido. Se não consegue fazer alguma coisa imediatamente ela fica com muita raiva e não quer tentar novamente. Tenho incansavelmente tentado ensinar a lição de que ela pode fazer tudo que quiser se não desistir de tentar; que ela só precisa ficar calma e tentar, tentar até conseguir.

Numa dessas cenas dentro do carro quando eu olhei pra minha filha e vi aquela expressão de raiva  em seu lindo rosto, percebi que eu precisava fazer algo mais pra ajudá-la. 

Sempre falo pro marido que os filhos são reflexos dos pais, se não estamos gostando de um comportamento deles, devemos olhar pra nós mesmos e ver o que estamos refletindo para eles. Então eu olhei pra mim e encontrei a fonte do problema. 

Sabe uma mãe calma porém firme quando necessário? Uma mãe que sabe disciplinar com amor? Uma mãe que não se altera, controlada, uma mãe madura emocionalmente, sabe como?

Essa mãe não sou eu! Essa é a mãe que eu imaginava que seria quando a maternidade era só uma idéia na minha cabeça. 

Dentro de casa sou explosiva, deixo a raiva tomar conta, grito, bato em coisas, grunho, me descontrolo. Posso dar um xilique de fazer inveja a qualquer criança de 2 anos. Não só com as meninas, com coisas comuns do dia-dia, quando alguma coisa não funciona como deveria, quando algo que fiz não dá certo. Quantas vezes ao perder a paciência com as meninas por causa do comportamento delas, eu me vi fazendo uma cena maior do que a delas próprias. Quantas vezes eu já reagi exageradamente à comportamentos comuns e bobos de crianças. Quantas vezes eu já castiguei desnecessariamente. Engraçado que não faço isso fora de casa. Em público eu sei me portar, sei me controlar. É tão fácil perder as estribeiras dentro da nossa casa. 

Eu quero ensinar minhas filhas a terem controle emocional; a se manterem calmas em situações frustrantes. Tudo bem se sentir frustrada, com raiva, chateada, não precisamos comprimir as emoções mas é necessário prestar atenção em como reagimos. Eu tenho aprendido a me controlar e me manter calma à fim de ensinar minhas filhas. Tem que começar comigo, com meu exemplo. 

Há alguns anos assisti uma palestra sobre como lidar com mau comportamento e situações difíceis dos filhos. O palestrante falou que não é nosso dever controlar o comportamento dos filhos. É nosso dever controlar nosso comportamento e ensinar nossos filhos a serem responsáveis pelo comportamento deles. Ele falava em como não devemos nunca nos alterar diante do comportamento dos filhos, que eles podem armar a maior birra do mundo mas nós precisamos nos manter inalteráveis. Eu não tenho mudar o comportamento de Leah - tenho que mudar o meu.     

Nas últimas semanas tenho trabalho muito minha paciência e sinto que nesse momento estou mais próxima do que jamais estive em ser a mãe que eu gostaria de ser.

O bom da maternidade é que todos os dias temos uma nova oportunidade de fazer melhor. 

8 comentários :

  1. Que bom que você voltou. Seus posts estavam fazendo falta!

    É verdade que na frente dos outros nos portamos melhor né? E com as pessoas mais importantes não nos preocupamos com isso. Mas o importante é que você já está´próxima a mãe que sempre quis ser. eve ser difícil mesmo, mas o importante é não desistir.

    Fica com Deus.
    Beijos.
    Jana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Jana. É isso mesmo, a gente erra tanto justamente com as pessoas mais importantes. Como você disse, o importante é não desistir de melhorar. Beijos!

      Excluir
  2. antes quero dizer que bom que vc voltou \°/ adoroooooo seu blog sempre venho aqui ver alguma atualizaçao sua, ate te procurei no face mais fiquei com vergonha de pedir amizade sabe rsrsrs fiquei sem net agora que vi suas postagens . em relaçao ao texto, tb tenho tentado melhorar minhas atitudes em relaçao ao comportamento das crianças, meus filhos bj e some nãooooooooo

    ResponderExcluir
  3. Oi Aine! Que bom receber seus comentários! Obrigada por vir sempre aqui checar. Espero voltar mais frequentemente. Abraços

    ResponderExcluir
  4. Day, passamos por coisas mto parecidas.
    Eu estavaexatmente assim. Explodindo por quase td. Dai comprei uns livros. Um se chama ACABE COM O ESTRESSE ANTESQELE ACABE COM VC. Menina, e obre maternidade. No meu blog vc acha na tag LIVROS Q RECOMENDO


    Amei e tbm comprei outros livros cristaos mto faceisde achar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nao conclui o coment rsrs
      Esses livros me ajudaram muito!!!
      Mas tbm amiga, muita oraçao.
      devemos orar por nossos filhos amiga. E mto importante contar com a ajudade nosso Deus.
      os tempos sao dificeis.
      A pouco tempo atras questao de semanas Rafa chorava por tudo. Nao fazia escandalo mas sim muita manha....nao queria vestir, um trabalho pracalçar sapato, trabalho prapentear, ir praedcola era td dia chorando. Hj mwlhorou mto. Faz td sem reclamar

      Mas sabe quem aprendeu o.mal comportamento??? O irmão!!! :(((
      E ele esta com quase 2 anos e nao sabia o q eram.gritos e birras. Peonto. Aprendeu.
      fases!!!!
      Tbm estou tentando melhorar.
      bjs

      Excluir
    2. Esqueci de deixar o link do meu blog:
      Upismamiblog.blogspot.com

      Excluir
    3. Luly querida, obrigada pelas dicas. Gostei muito do lembrete de orar. Esses momentos de estresse são tão comuns no dia-a-dia que acabamos esquecendo de nos voltar à Deus e pedir a ajuda Dele. Kylie também passou por essa fase de não querer se vestir nem botar sapatos, era um escândalo gigante pra sair pois eu tinha que botar na marra. Ela melhorou mas ainda não gosta de usar calças e o sapato tem que ser o favorito dela no momento. Ela sempre vai pra igreja descalça pq não aceita o sapato social de jeito nenhum. O único jeito é respirar fundo e esperar a fase passar. Quando eu estiver no computador passo lá no seu blog. Beijão!

      Excluir